quinta-feira, fevereiro 04, 2010

Eu e a TV: um chavão tudo a ver

Sabe aquele texto sobre a TV hoje em dia - "não dá pra assistir, é tudo um lixo, isso e aquilo.." -? E que você não escreveria porque qualquer um escreve algo chavão assim?

Pois é, alguém escreveu. A mais recente descoberta chavônica: Gabriel Colombo. Não bastasse o vídeo com uma primorosa poesia, detectado por Te dou um dado,



o site do escritor(?) e modelo traz também
uma coletânea de chavões e sacadas geniais como há muito não víamos.

Trechos de uma de suas obras primas:


"Já gostei mais de assistir televisão. E -lá se vão anos atrás-. Hoje, -se assisto por mais de uma hora, sinto-me "emburrecido"-. A qualidade dos programas -é tão boa ( é ironia, ok?)-, que volto aos 10 anos de idade em questão de um -plim-plim-. (...). -A má fé é tão descarada, que fico chocado-. -Meus motivos dobrariam páginas-...Mas, para ser mais sucinto...

Jornal Nacional. -Tem seu mérito, vá lá-. (..)Mas na tentativa do casal de apresentadores parecerem mais informais e amistosos, parece realidade artificial. Dois bonequinhos tentando interagir. E o que não é noticiado por eles, -passa em brancas nuvens-, como se não tivesse acontecido. -A TV tem o poder de restringir, limitar-. (...) . -O que não for conveniente,- talvez, eles "deixem pra lá". Por isso que sinto-me muito mais informado lendo um jornal. De papel. (?? e mais um ?)

Novela. -Um caso à parte-. -Você já reparou que os dramas são, e serão sempre os mesmos-? Então porquê a pressa de não perder o capítulo de hoje? (...) Bem, -e os finais, todos já sabem: há sempre mais de um casamento-. -Isso quando "o assassino" não fica para ser descoberto no último capítulo-.

Programas matutinos. (...)-As receitas só andam variando o sal e o açúcar-. (...) E se existem entrevistas com as quais somos "premiados" logo pela manhã, é sempre -uma subcelebridade- nos seus -quinze minutos de fama-. -Alguém eliminado de algum reality show, confessando-...

Programas da tarde. Uma tal de Sônia Abrão -bem que poderia ser aquela sua vizinha fofoqueira, não-? -Fala pra "caramba"-. ... tentando encobrir o fato dela -fazer sensacionalismo em cima da miséria dos outros-(...) -Márcia? Quem é Márcia?- (...) -Datena. Quem é Datena? (...) -Se isso me interessa? Nem um pouco-.... -Não quero ver guerra, já está em todos os jornais-. (...) -Me mostrem novas formas de amar.Que tal?- (...)-Gente, vão ler livros. Ouvir música. Inventem-...

-Como para o final eu deixo o melhor-, então aqui vai a pérola: "Superpop" com Luciana Gimenez! -Programete da ex-caça-roqueiros de mesmo nome da linha anterior-.


E as pérolas finais de todo texto falando mal da TV:

1 .-Mas esses dias, comentaram comigo, que houve um acidente, parece que de automóvel. Eu não assisto nada disso, mas disseram que...-

2. -Eu era criança e via o Chacrinha, e suas chacretes repletas de uma sensualidade inocente, infantil se comparada ao de hoje mostrado.- (claro, claro, 'no meu tempo tudo era melhor...')


Sacada primorosa:
"Era dele o famoso bordão: "Roda, roda, roda, e avisa!" Lembra? Pois "Rodei" do canal 03 ao 52. Agora, "Aviso": aperta o botão "desliga"."


Reserva
I. Eu entendo que há gente que vê na TV uma companhia, mas aqui vale o infame ditado: antes só do que mal acompanhado.
II. Para mim, TV virou o legítimo programa "nada a ver". Aquilo que eu faço quando nada tenho há fazer. E olhe lá.
II. Calma....a vida é bela. E, lá fora, um mar de possibilidades nos espera.
Postar um comentário