quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Os cães ladram e o chavão passa

Adaptação do chavão oriental à necessidade de um obreiro evangélico.


"Diz o velho ditado àrabe, muito citado pelo meu colega de profissão Ibrahim, -não importa o latido dos cães nem o barulho que faça, a caravana segue o seu caminho-, apesar deles...-Existe uma estrela a ser seguida-, um sentimento a ser preservado, um caminho a percorrer e nada pode impedir que a caravana siga o seu rumo. Mesmo que pare por alguns momentos, mesmo que os cães famintos farejem e se julguem alimentados com alguns restos que ficaram no caminho (isso é verdade!)... -a caravana prossegue, mais fortalecida, mais coesa, mais decidida e empenhada, deixando para trás o latido dos cães esfomeados-. Essa caravana é -feita de sonhos, de desejos, de amor, de sentimentos fortes, de gestos e atitudes, de longas vivências, de cumplicidade e complementariedade- que -só nós sabemos e podemos colocar nela-. E ela segue o seu caminho, totalmente indiferente dos ganidos dos cães enloquecidos, como se estivessem atrás de uma cadela no cio."
Sorry, periferia. À demain, que eu vou em frente, mesmo porque -cavalo não desce escada-."

Flavio Lima


Fonte
Postar um comentário